Archive for the ‘Blog’ Category

Hoje Acordei…

Hoje acordei num dia cinzento,
desde o começo senti que era diferente.
Tinha uma sensação de estranheza cá dentro,
como aqueles dias que tu pensas no antigamente,
a minha mente, dizia “falta algo”,
é tão claro como água,
reflectia sobre o porquê da vida ser amarga,
TRAVA…

A maior arma é, não deixar esmorecer a alma,
acreditar que o jogo não está perdido,
continuar a sorrir, por muito que possa estar fodido.
E eis a questão,
eu não vejo ninguém a sorrir,
sem orientação já ninguém deixa fluir.
Está tudo cheio de pressa para subir,
mesmo que isso implique destruir,
já não há acções a medir,
assim não vão conseguir.
Na ausência do amor é, impossível construir,
ACREDITA…

Cada vez está mais dificil de agradar,
ser agradado, ser motivado a criar,
Não há impacto, está-se tudo a cagar,
se quisessem mudar, podiam, mas ninguém quer arriscar.
Em vias de extinção, está o motivo certo,
a cura para a secura, é como água no deserto,
longe, perto, é quase miragem,
praticamente utópico já nem me lembro dessa imagem,
margem distante, afasto-me no barco,
podiamos ser brilhantes, mas eles preferem o tacho,
o declive é constante, vai tudo para o mesmo saco,
pesados como elefantes, só paramos lá em baixo.
Só na merda é que pensamos, reflectimos sobre o erro,
O homem tem de levar um estalo para reparar no degredo,
não é segredo, todos vemos, são casos reais,
vivemos a dormir e cada vez perdemos mais…

Hoje em dia o tema guerra já não é novidade,
pobreza, riqueza, não é novidade,
mentiras, políticas não são novidade,
sabemos que nunca vamos, saber a verdade.
vivemos na esperança de matar a saudade,
acorrentados aos demónios da nossa sociedade,
iludidos com a trança da falsa felicidade,
qual é a força que chega para nos tirar a liberdade.
Usam e abusam da nossa dignidade,
não me venham dizer que é, da minha idade,
da crise da actualidade, que foi uma fatalidade,
porque, o problema está na mentalidade,
ou na intimidade, que chegamos a este, a vontade,
constante passividade, não existe frontalidade,
à golpes com gravidade, sem afinidade.
Para o bem da comunidade, quem é que pára a Humanidade.

É Inevitável…

É inevitável que todos precisemos de desabafar de vez em quando. Mais verdade ainda é a facilidade com que mais depressa desabafamos com um qualquer desconhecido do que com um amigo ou mesmo conhecido até.

Amigos, conhecem-nos de um modo ou de outro, estão regularmente connosco e por esse mesmo motivo vão sempre guardar o desabafo ou pelo menos a ideia dele para sempre. O que torna inevitável que este tenha em conta um desabafo do tipo “A minha vida está uma merda” num determinado momento sempre que me veja ou esteja em contacto comigo.

Com um desconhecido é exactamente o contrário, certamente nunca mais o irei ver na vida e este esquecer-se-à de que “A minha vida está uma merda” em pouco tempo.

No fundo desabafar com um desconhecido é como vomitar para um saco e atirá-lo pela janela de um carro em alta velocidade.

De uma forma geral desabafar com um amigo é vomitar para um saco, atirá-lo pela janela de um carro em andamento e ter a sorte de acertar exactamente na pessoa que vai a caminhar no passeio. Já com um desconhecido o saco cai no meio da floresta, sem que nunca ninguém saiba que este existiu.

Por vezes apercebemos-nos de que alguns dos nossos melhores amigos são por vezes desconhecidos depois de termos um desabafo com eles. Depois de lançar o saco de vómito, o carro afasta-se, mas depois volta.

A amizade entre duas pessoas tem de ser capaz de carregar alguns sacos de vómito, de os fechar e enterrar num qualquer aterro sanitário. Na verdade, o Amor também…

 
 
 

“Crescer custa, demora, esfola, mas compensa. É um vitória secreta, sem testemunhas. O adversário somos nós mesmos.”

 
 
 

10700527_881186421905139_5966129166141539077_o
Ainda há apaixonados por automobilismo em Portugal, é incontestável e ficou provado este fim-de-semana no Autódromo do Estoril!

Para uns Louco, Obstinado e Persistente, mas como tudo na vida é preciso aproveitar alguns prazeres da vida! Num pequeno país onde o Futebol é rei e senhor, foi espantosa a moldura humana encontrada ontem no Autódromo do Estoril.

Por si só o ELMS (European Le Mans Series) é uma festa dentro do mundo das corridas. É impossível descrever o ambiente sentido num paddock desta natureza, é simplesmente um mundo à parte!

Presentes algumas das melhores máquinas à categoria do mundo, máquinas infernais, barulhentas e “imperfeitas” ao perto levadas ao limite por excelentes pilotos!

O ambiente sentido dentro do paddock e é indescritível, uma amálgama de pessoas, entre pilotos, mecânicos, engenheiros, equipas e curiosos dão um colorido fantástico a qualquer pista.

Ver corridas na Tv é muito mais confortável, mas isso é para quem vê por ver, isto porque o som emanado pelos motores é arrepiante. O cheiro a borracha, travões super aquecidos e a combustível de competição é uma combinação perfeita para qualquer amante dos motores!

Aprende-se muito sobre corridas também, observar alguns dos melhores engenheiros e mecânicos revelam pequenos segredos do mundo das pistas aos menos conhecedores. É fantástico…

Confesso que tinha algumas dúvidas sobre a adesão a esta prova, pois como já é costume vejo circuitos desertos em Portugal, com excepção para ao Circuito da Boavista, Vila Real e Rally de Portugal e Europeu / Mundial de Rallyrcross. Muito por culpa “nossa”, pois somos futeboleiros inveterados é dificil puxar competições motorizadas de relevo para o nosso país, ainda para mais com um governo que teima em dizer que o desporto automóvel não trás vantagens que justifiquem os apoios estaduais.

Isto acontece porque uma generalidade nunca esteve envolvido num ambiente de competição como o vivido ontem no Autódromo do Estoril. É impossível não ficar rendido a este mundo que tem tanto para se ver, para se observar e aprender.

10515120_881635705193544_5448886173087722891_o
Palmilhar quilómetros para assistir a estes momentos é uma necessidade, pois as “Pequensa Coisas Que Faltam na Vida, Tornam as Grandes Incompletas… Pequenas Coisas Fazem Parte. Não te Esqueças!!!

“Só” Passaram 20 Anos!!!

F40_caramulo


Regresso ao Caramulo 20 Anos Depois, o Mesmo Miúdo, a Mesma Paixão e o Mesmo Ferrari F40…