Corridas com o Coração


 

Longe vão os tempos, aqueles mesmo antes de eu nascer em que as corridas eram decididas com o coração, sim por momentos de coragem e emoção por parte dos pilotos que conseguiam proezas que não imaginamos ver replicadas nas corridas de hoje.

Actualmente vemos que as corridas principalmente de Fórmula 1, assim como as restantes modalidades motorizadas de topo se regem por tácticas fortíssimas que impõem determinadas regras e objectivos aos pilotos, aliciando-os a arriscar o estritamente necessário e nunca passar além disso.

Faz falta a irreverência das lutas entre Alain Prost e Ayrton Senna, o louco e espectacular Gilles Villeneuve ou então o louco James Hunt que não dispensava um cigarro, álcool, festas, sexo e mulheres antes das corridas.

Corridas feitas com o coração no acelerador traziam um encanto e emoção fora do normal, forçando limites do que era imaginável. Eram essas emoções que davam cor ao desporto motorizado, e que mostravam a verdadeira face dos pilotos.

Não descuro a evolução tecnológica e táctica que o desporto motorizado sofreu até ao dia de hoje, em que os níveis tecnológicos da engenharia envolvida são enormes e que dão o seu ar de graça, mas os tempos em que não havia ajudas electrónicas, direcção assistida ou telemetria em directo eram muito mais bonitos.

Tempos esses em que os pilotos tinham máquinas muito mais “ásperas”, onde tinham de ser pilotadas com as duas mãos, com o coração e com os “tomates”.

One Response to “Corridas com o Coração”

  1. Muito obrigada pelo teu comentário, antes de mais! Tens toda a razão, é super reconfortante sentirmos o retorno do que damos.
    Infelizmente também já me aconteceu considerar alguém como realmente amigo, e essa pessoa deixar-me para trás do nada.
    Também não sou especialmente afável, e como tal não me dou com tanta gente como se calhar outras pessoas da minha idade. No entanto, como disse no post, o que interessa é a qualidade.
    Cada vez tenho mais cuidado em quem aplico a palavra “amigo”, porque cada vez mais percebo o significado que tem.

    Mas pronto, é a vida! 😉

Leave a Reply