A Primeira Vez!!!

 

SANY0436-2

Hoje acordei estremunhado ao toque da Sirene! Saltar da cama foi imediato e o coração, tal como sempre batia forte e a adrenalina corria nas veias.

Fardo-me à pressa, calças e camisola vestidas e botas desapertadas, bem ao meu estilo apressado e aí vou em direcção ao quartel.

À chegada o portão já estava aberto, mas o VSAE ainda não saíra. Chamam por mim apressadamente dizendo. “Nuno, tens de levar a Iveco”, o meu coração bateu ainda mais depressa e as minhas pernas tremiam!

Era necessária a intervenção de uma Viatura pesada e não havia de momento motoristas de pesados disponíveis, apenas eu. O maçarico, sim acreditem que quando me sentei no camião eu tremia realmente, afinal era a minha primeira vez ao volante de um camião numa real situação de emergência.

Não tenho “medo” de sair com qualquer tipo de viatura pesada, mas uma situação de emergência é completamente diferente. As sirenes tocam, o ritmo de condução tem de ser mais elevado, além disso, é necessário cuidados redobrados com todos os outros que circulam na via, que nem sempre são os mais condescendentes com a passagem de veículos prioritários.

A sensação foi de “ter caído de pára-quedas” ao volante do VSAE 01, nunca antes tinha conduzido o camião, e apesar de não ser um bicho-de-sete-cabeças a sua condução é sempre estranho. A dureza da caixa de velocidades reclamava um arranque a frio. Queixa-se, relutante a engrenar as primeiras velocidades. Mas como tudo na vida é preciso saber dar a volta as coisas, e tirar o real proveito.

No fim de contas tudo correu bem, a cada metro percorrido sentia-me mais confortável e tudo começou a sair naturalmente.

Assim é o natural sentido das coisas, primeiro estranha-se, mas depois entranha-se e foi o que aconteceu.

A primeira vez fica marcada e esta não será excepção. A primeira vez “real” do maçarico!

Agora venha um Kamaz 4911 Extreme, Tatra 815 ou Iveco Trakker Evolution 3 do Dakar que eu sou capaz de domar a fera, só preciso de lhe tomar o gosto e o pulso, o resto o coração encarrega-se de conduzir!

 

É Tudo Uma Questão de Feitio!!

 
 


“Ayrton Senna era Assim – era Determinado. Ele escreveu o futuro dele, e só não pôde prever o fim. Se pudesse, teria corrido mais devagar. Não… teria corrido mais depressa, porque não era do feitio dele.” –

Pascoli Melaré

 
 

Progresso: Carta de Condução Categoria C + E —-> 100%

volvo

Hoje apesar de ser “Dia de Azar”, ou seja, Sexta-Feira 13, foi o dia em que concluí um dos meus grandes objectivos para o Ano 2013.

Agora sim sou um orgulhoso possuídor de carta de condução de Categoria C + E, ou seja, carta de condução de pesados com reboque e semi-reboque. A habituação à sensibilidade necessária à manobra de um reboque foi coplicada ao início, mas com calma tudo foi se foi acertando em seu lugar e a experiência foi-se adquirindo.

2013 não foi de todo um ano brutal para mim, foi sobretudo um ano de Altos e Baixos e de muitas lições aprendidas pelos meus próprios erros, mas Hoje estou feliz por mim mesmo e por mais um marco alcançado.

Pequenas Coisas que Faltam Na Vida, Tornam as Grandes Incompletas….

Paralelísmo!!!

 
 

Se há uma coisa que permanece imutável no Automobilismo, é que nada permanece imutável.
Os carros são constantemente destruídos e reconstruídos.
Novas ideias são implementadas, outras abandonadas.
Pilotos e Equipas aparecem e desaparecem.
Calibrar a máquina é uma busca infindável, uma procura contínua  pela configuração ideal.
Conduzir um carro de corrida é mais que uma ciência, é uma arte.

 
 

Como é possível encontrar um paralelísmo tão forte com a Vida Real?

Pensamentos – 19/11/2013

Madrugada deveria ser para qualquer uma pessoa reservada para dormir e descançar, não para divagar sobre tudo e nada como acontece comigo.

Dormir de manhã sabe tão melhor, é impressionante. Preguiça arrasta preguiça e eu sei bem o que isso é.

Esta noite enquanto esperava o sono, pensava em muitas coisas. Não em estudar, não em mulheres ou namoradas, mas sim em tudo que tenha um volante, um motor e quatro ou mais rodas.

Agora que o que terminou o WRC 2013 ganho pelo Francês Seb. Ogier sem qualquer dificuldade, pensei sobre a qualidade demonstrada pela recém chegada VW World Rally Team.

O Dakar 2014 também foi motivo de pensamento e de “sonho”, sendo que um projecto assente num Gigante de 9 toneladas sobre as areias de um deserto deixa um brilhozinho nos olhos impossível de disfarçar.

Pensei em como a Bandeira Nacional subiu novamente ao Pódium no GP de Macau, quer por Tiago Monteiro no WTCC e pelo António Félix da Costa na Fórmula 3. Não esquecendo a boa prestação do Aguiarense André Pirees nas Motos.

O perigo está sempre implícito no desporto motorizado e a morte do companheiro de equipa de Rúben Faria, Kurt Caselli na Baja 1000 da Califórnia enquanto se preparava para o Dakar 2014, fez-me reflectir sobre o perigo.

Apesar do perigo implícito pelo desporto automóvel todos os pilotos e apaixonados pela modalidade aceitam sem vacilar o perigo, esquecendo-o completamente quando estão a competir.

A mecânica assombra-me imaginando toda e qualquer peça mecânica e a sua importância, levando-me para pensamentos longínquos.

São estas as minhas madrugadas em que a vontade de dormir é significativamente reduzida.