Tal como na Vida…

“Na pilotagem é importante usarmos a nossa cabeça. Não pode ser sempre a fundo…”

Ott Tanak






Somos Eternamente Responsáveis Por Aquilo que Cativamos!!!






Somos Eternamente Responsáveis Por Aquilo que Cativamos!!!

(Ou Então Não…)






Quando o Sol Nascer, Tudo Vai Mudar de Figura…

Sempre ouvi dizer, “quem espera sempre alcança”, depois da tempestade, costuma vir a bonança. A idade modera a ansiedade da criança, só com o tempo, se chega ao equilibrio da balança. Determinação, venceu grandes conquistas, da cave mais escura, sairam grandes artistas. Nesta era reina o egoismo, a fé é a salvação, estamos à beira do abismo. Dança, ás vezes é preciso soltar, sem inspração, pouco ou nada deves estar. Há uma ordem natural, para quê apressar, olha à tua volta, e começa a apreciar. As pequenas coisas adquiridas à nascença, a maioria são esquecidas na indiferença, não quero ver o dia, em que vou pousar a armadura, quando o sol nascer, tudo vai mudar de figura…

A verdade demora, mas vem sempre ao de cima, muita gente chora, não entendem o clima. É um ciclo, chove, para o sol brilhar depois, faz frio para, fazer calor depois, ESPERA… É como ler um livro, no fim encaixa tudo, se tens acesso à obra, porquê procuras o resumo? É como nas histórias, vai cair um ditador, e vão deixar de haver diverenças, entre o pobre e o doutor. Em todos os percursos, encontras obstáculos, só tens de enfrentá-los, para torna-los minúsculos, são como capítulos que habitarão no passado, a resiliência está em ti, não fiques paralizado.

É uma questão de ter jogo de cintura, é o amor que nos move, o segredo da cultura. No meu optimismo, consigo ver uma abertura, sei que quando o sol nascer, tudo vai mudar de figura.

Hoje Acordei…

Hoje acordei num dia cinzento,
desde o começo senti que era diferente.
Tinha uma sensação de estranheza cá dentro,
como aqueles dias que tu pensas no antigamente,
a minha mente, dizia “falta algo”,
é tão claro como água,
reflectia sobre o porquê da vida ser amarga,
TRAVA…

A maior arma é, não deixar esmorecer a alma,
acreditar que o jogo não está perdido,
continuar a sorrir, por muito que possa estar fodido.
E eis a questão,
eu não vejo ninguém a sorrir,
sem orientação já ninguém deixa fluir.
Está tudo cheio de pressa para subir,
mesmo que isso implique destruir,
já não há acções a medir,
assim não vão conseguir.
Na ausência do amor é, impossível construir,
ACREDITA…

Cada vez está mais dificil de agradar,
ser agradado, ser motivado a criar,
Não há impacto, está-se tudo a cagar,
se quisessem mudar, podiam, mas ninguém quer arriscar.
Em vias de extinção, está o motivo certo,
a cura para a secura, é como água no deserto,
longe, perto, é quase miragem,
praticamente utópico já nem me lembro dessa imagem,
margem distante, afasto-me no barco,
podiamos ser brilhantes, mas eles preferem o tacho,
o declive é constante, vai tudo para o mesmo saco,
pesados como elefantes, só paramos lá em baixo.
Só na merda é que pensamos, reflectimos sobre o erro,
O homem tem de levar um estalo para reparar no degredo,
não é segredo, todos vemos, são casos reais,
vivemos a dormir e cada vez perdemos mais…

Hoje em dia o tema guerra já não é novidade,
pobreza, riqueza, não é novidade,
mentiras, políticas não são novidade,
sabemos que nunca vamos, saber a verdade.
vivemos na esperança de matar a saudade,
acorrentados aos demónios da nossa sociedade,
iludidos com a trança da falsa felicidade,
qual é a força que chega para nos tirar a liberdade.
Usam e abusam da nossa dignidade,
não me venham dizer que é, da minha idade,
da crise da actualidade, que foi uma fatalidade,
porque, o problema está na mentalidade,
ou na intimidade, que chegamos a este, a vontade,
constante passividade, não existe frontalidade,
à golpes com gravidade, sem afinidade.
Para o bem da comunidade, quem é que pára a Humanidade.

É Inevitável…

É inevitável que todos precisemos de desabafar de vez em quando. Mais verdade ainda é a facilidade com que mais depressa desabafamos com um qualquer desconhecido do que com um amigo ou mesmo conhecido até.

Amigos, conhecem-nos de um modo ou de outro, estão regularmente connosco e por esse mesmo motivo vão sempre guardar o desabafo ou pelo menos a ideia dele para sempre. O que torna inevitável que este tenha em conta um desabafo do tipo “A minha vida está uma merda” num determinado momento sempre que me veja ou esteja em contacto comigo.

Com um desconhecido é exactamente o contrário, certamente nunca mais o irei ver na vida e este esquecer-se-à de que “A minha vida está uma merda” em pouco tempo.

No fundo desabafar com um desconhecido é como vomitar para um saco e atirá-lo pela janela de um carro em alta velocidade.

De uma forma geral desabafar com um amigo é vomitar para um saco, atirá-lo pela janela de um carro em andamento e ter a sorte de acertar exactamente na pessoa que vai a caminhar no passeio. Já com um desconhecido o saco cai no meio da floresta, sem que nunca ninguém saiba que este existiu.

Por vezes apercebemos-nos de que alguns dos nossos melhores amigos são por vezes desconhecidos depois de termos um desabafo com eles. Depois de lançar o saco de vómito, o carro afasta-se, mas depois volta.

A amizade entre duas pessoas tem de ser capaz de carregar alguns sacos de vómito, de os fechar e enterrar num qualquer aterro sanitário. Na verdade, o Amor também…