Um Fim de Semana Duro de Roer!

O fim-de-semana passado foi duro de roer… Entrei de serviço ao combate a incêndios florestais as 20h de Sexta-Feira, seguiu-se uma noite inteira de trabalho e já era manhã quando foi possível descansar um pouco. A tarde de Sábado foi também pautada por diversos incêndios florestais que prolongaram o trabalho até bem perto das 00:00h, hora a que tive o prazer de poder jantar.

Domingo bem cedo foi altura de trabalhar novamente até as 20h, hora a que fui substituído. Cansado mas feliz por ter sido útil à população e à floresta….

 

Parte o Coração e dá um grande Nó na garganta saber que mais um de nós pereceu às mãos do enorme gigante vermelho, o fogo apanhou-a e não lhe deu hipótese de fuga. Dar tudo a tentar combater o fogo e ele sem dó nem piedade ceifa mais uma vida.

É triste ver um de nós partir em missão, mas só nos dá ainda mais força de voltar e lutar….

Podemos não Voltar mas Vamos…

Isto por Causa do 11 de Setembro!!

Como todos sabem o 11 de Setembro de 2001 foi uma catástrofe, algo nunca visto e que provocou estragos impossíveis de contabilizar e milhares de mortes. Mas não é bem este o ponto no qual quero tocar.

Após o embate do primeiro avião na torre Norte do World Trade Center foram accionados os meios de socorro para o local, nomeadamente os Bombeiros e Paramédicos de modo a tentar evacuar e socorrer todas as pessoas e vítimas. À chegada dos primeiros meios de socorro foi evidente que estavam perante uma ocorrência gigantesca, onde o incêndio já consumia mais do que 1 andar do edifício sendo que cada andar tinha uma área superior a 1 campo de futebol a carga térmica era imensa.

Na queda das torres morreram 343 Bombeiros que mesmo antes de entrar no edifício sabiam que poderiam não voltar a sair. Equipados com ferramentas manuais e material de protecção individual seguiram em direcção aos pisos mais elevados do WTC, sempre pelas escadas e contabilizado cerca de 30 Kg em material. Um esforço Sobre-Humano, extremamente desgastante física e psicologicamente.

Após todo o desastre os Bombeiros foram considerados como heróis, não é que não o sejam mas enfrentaram a ocorrência como o seu trabalho, algo  que lhes dá prazer fazer e o agrado de poder ser útil e salvar vidas.

Seria óptimo que em Portugal os Bombeiros tivessem 1/3 do reconhecimento de que merecem, pois só quando acontecem os problemas é que a população se lembra dos Bombeiros. Em Portugal os Bombeiros são forças voluntárias que carecem de muitos problemas, quer ao nível da organização, disciplina, formação e acção, mas no entanto são eles que partem para a linha da frente quando é necessário actuar. Eles seguem em frente quando todos os outros recuam, e sendo eu um deles e estado ciente de todos os problemas que possuímos sei que nós somos necessários.

A cada verão que passa assistimos ao mesmo problema dos Incêndios Florestais, dias e dias a combater sem descanso, desgastados pela luta, pelo fumo e pelas elevadas temperaturas.

Num país pequeno como o nosso com fracos recursos económicos para a Protecção Civil (mas existe é dinheiro para os Submarinos) é difícil igualar o nível de prontidão dos Bombeiros dos EUA, mas merecemos um pouco de reconhecimento e de apreço pela nossa actividade de risco.

Nada melhor que um sorriso ou uma palavra agradável a um Bombeiro após ele completar a sua missão…

My Body and My Head Are Almost Blow

Estamos quase no final do verão, para muitos tempo de voltar a escola e terminar a época de férias, de descanso e diversão. Para mim o verão de 2012 não foi muito diferente dos anteriores, integrando novamente as equipas de combate a incêndios dos Bombeiros Voluntários.

Depois de 3 mêses de trabalho por turnos, sinto-me cansado, muito cansado psicológicamente mais ainda do que o cansaço físico. Até agora a quantidade de incêndios foi reduzida o que implicou muito tempo livre, o que trouxe muito stress também.

Os incêndios florestais trazem trabalho, destruição, pânico e desolação mas para mim acabam por se tornar numa forma de me sentir útil, sentir adrenalina, enfrentar o perigo e libertar o stress acumulado. 2012 não está a ser um bom ano para eu me libertar, o que me está a deixar exausto psicológicamente.

Espero que 9 dias de praia já na proxima semana me façam bem!


Passavam poucos minutos das 14h de sábado dia 11 de Agosto de 2012 quando foi accionada uma das nossas equipas de combate a incêndios florestais para combater um incêndio no concelho vizinho de Vidago.

Ainda a caminho a enorme coluna de fumo que se erguia no céu fazia prever uma difícil tarde de combate às chamas, o que mais tarde se veio a tornar num verdadeiro inferno. Ardia intensamente pinhal adulto atiçado por ventos fortes e longas projecções, alastrando ainda mais as chamas que por si só já eram fortes.

Foram longas horas de uma luta desigual, a qual só terminou já a madrugada ia longa. É um trabalho sujo, desconfortável e difícil mas eu adoro o que faço e continuarei a fazê-lo enquanto tiver oportunidade.