A Primeira Vez!!!

 

SANY0436-2

Hoje acordei estremunhado ao toque da Sirene! Saltar da cama foi imediato e o coração, tal como sempre batia forte e a adrenalina corria nas veias.

Fardo-me à pressa, calças e camisola vestidas e botas desapertadas, bem ao meu estilo apressado e aí vou em direcção ao quartel.

À chegada o portão já estava aberto, mas o VSAE ainda não saíra. Chamam por mim apressadamente dizendo. “Nuno, tens de levar a Iveco”, o meu coração bateu ainda mais depressa e as minhas pernas tremiam!

Era necessária a intervenção de uma Viatura pesada e não havia de momento motoristas de pesados disponíveis, apenas eu. O maçarico, sim acreditem que quando me sentei no camião eu tremia realmente, afinal era a minha primeira vez ao volante de um camião numa real situação de emergência.

Não tenho “medo” de sair com qualquer tipo de viatura pesada, mas uma situação de emergência é completamente diferente. As sirenes tocam, o ritmo de condução tem de ser mais elevado, além disso, é necessário cuidados redobrados com todos os outros que circulam na via, que nem sempre são os mais condescendentes com a passagem de veículos prioritários.

A sensação foi de “ter caído de pára-quedas” ao volante do VSAE 01, nunca antes tinha conduzido o camião, e apesar de não ser um bicho-de-sete-cabeças a sua condução é sempre estranho. A dureza da caixa de velocidades reclamava um arranque a frio. Queixa-se, relutante a engrenar as primeiras velocidades. Mas como tudo na vida é preciso saber dar a volta as coisas, e tirar o real proveito.

No fim de contas tudo correu bem, a cada metro percorrido sentia-me mais confortável e tudo começou a sair naturalmente.

Assim é o natural sentido das coisas, primeiro estranha-se, mas depois entranha-se e foi o que aconteceu.

A primeira vez fica marcada e esta não será excepção. A primeira vez “real” do maçarico!

Agora venha um Kamaz 4911 Extreme, Tatra 815 ou Iveco Trakker Evolution 3 do Dakar que eu sou capaz de domar a fera, só preciso de lhe tomar o gosto e o pulso, o resto o coração encarrega-se de conduzir!

 

Progresso: Carta de Condução Categoria C + E —-> 100%

volvo

Hoje apesar de ser “Dia de Azar”, ou seja, Sexta-Feira 13, foi o dia em que concluí um dos meus grandes objectivos para o Ano 2013.

Agora sim sou um orgulhoso possuídor de carta de condução de Categoria C + E, ou seja, carta de condução de pesados com reboque e semi-reboque. A habituação à sensibilidade necessária à manobra de um reboque foi coplicada ao início, mas com calma tudo foi se foi acertando em seu lugar e a experiência foi-se adquirindo.

2013 não foi de todo um ano brutal para mim, foi sobretudo um ano de Altos e Baixos e de muitas lições aprendidas pelos meus próprios erros, mas Hoje estou feliz por mim mesmo e por mais um marco alcançado.

Pequenas Coisas que Faltam Na Vida, Tornam as Grandes Incompletas….

Progresso: Carta de Condução Categoria C + E —-> 33.33%

volvo

A Obtenção da carta de condução de categoria C + E, ou seja carta de condução de pesados com reboque e semi-reboque faz parte dos meus objectivos para 2013, e hoje ficou um pouco mais perto de se realizar.

Hoje fui a exame de mecânica e modéstia a parte, sou um “pro”. Não errei qualquer uma das 20 perguntas do exame de mecânica deixando-me muito satisfeito, e um passo mais perto da obtenção da carta propriamente dita.

Como se não bastasse o dia ainda teve tempo para uma primeira aula de condução, sim agora posso dizer abertamente que já conduzi um camião e a sensação foi óptima. Uma sensação de poder, de superioridade (apenas no tamanho e no peso, não nas prioridades) na estrada. A adaptação à condução de um veículo pesado tem as suas particularidades e eu ainda me tenho de habituar ao comprimento e largura extra, ao tipo de travões mais sensíveis assim como à caixa de velocidades menos dócil.

Tudo é maior em dimensão e em dureza, mas dá uma sensação e gozo de condução muito interessante!

Simplesmente eu Gosto!

Aquilo que Nos Realiza!

dk13day4onbe-1

A vida é feita de sonhos e de dificuldades, de dúvidas e certezas, de tristezas e alegrias, mas são os sonhos, o brilho nos olhos ao ver ou sentir algo que nos faz sentir vivos.

A adrenalina é uma sensação que nos desperta, apura os nossos sentidos e nos realiza o ego. Sentir o friozinho na barriga e as pernas a tremer, mas ainda assim seguir em frente e concluir o objectivo com êxito é algo que nos alimenta o ego de uma forma sem igual.

Os últimos dias, sim porque nos últimos tempos eu tenho dormido de dia e vivido de noite, os meus sonhos tem começado por uma única coisa. Uma aventura sem igual, Camiões, Carros, Motas, Areia e muita adrenalina e dificuldades chamada Dakar.

Desde pequeno que vivo de carros, camiões, máquinas, tecnologia e sonhos, principalmente sonhos dos quais nem todos são possíveis de realizar. Apesar de serem sonhos e de devermos lutar por eles existem sonhos que nunca passarão de sonhos por mais que lutemos por eles. Alguns deles já passaram, mas ainda reservo um pequeno espaço para a realização de uma aventura no Dakar, na primeira pessoa e ao volante de um Gigante de 4 rodas, sim, um camião.

2013 será o inicio da obtenção da carta de condução de pesados de mercadorias e articulados (categoria C + E), algo que já fazia parte dos meus planos à já muito tempo e que agora vou mesmo realizar.

É um pouco por isso que o meu sonho de realizar um Dakar ao volante de um camião se tem acentuado, mas como muitas outras coisas não passa de um sonho.

Para já vou sonhando com máquinas, camiões, carros e tudo que tenha motor e envolva mecânica. Outras coisas me fazem falta, mas essas são temperamentais e inconstantes, nada que se compare com a mecânica… Coisas com um cérebro são muito mais difíceis de lidar do que apenas mecânica, física e adrenalina.