Desabafo: Um Dakar Maricas…

dakarcrash

Vamos a Pouco mais de Meio Dakar, uma competição motorizada que se afirma como a mais dura do mundo, a qual percorre 10 000 Quilómetros em 15 dias, mas desculpem-me o termo e o desabafo, o Dakar está a ficar MARICAS.

Hoje foi dia da Etapa 9, uma etapa maratona para as Motos e Quads onde ficarão em parque fechado no final sem que possam ter assistência das equipas. Dia infeliz para a armada Portuguesa de facto, mas ainda não fomos declarados “mortos” e lá continuaremos a tentar, mas não é exactamente isso que me leva escrever este que não é mais do que um desabafo.

Ao final do ponto de controlo 2 a etapa foi dada como neutralizada para as Motos e Quads devido ao extremo calor que se faz sentir e que poderia trazer inúmeras dificuldades no cruzar das míticas dunas de Fiambala. Nada que já não venha a ser hábito nas últimas edições do Dakar, em que as neutralizações de etapas são uma constante, ora pelo frio, ora pela chuva, ora pelo calor, isto tudo em prol da segurança diz a Organização.

Mas que raio é isto? Não é suposto ser a competição motorizada mais dura do mundo? Ser necessário lidar com a dureza, com o calor e com as condições de algumas das regiões mais inóspitas do mundo?

Ora se neutraliza as especiais em altitude devido ao frio extremo que se faz sentir e que pode colocar em risco os pilotos e respectivas equipas, ou a chuva intensa torna os leitos dos rios secos demasiado perigosos, ou então o calor extremo torna a areia das dunas tão solta que as torna muito dificeis de transpor. Bem isto é quase como pedir um Dakar sem Pó, com Ar Condicionado e todas as comodidades de um circuito.

Pode ser apenas uma “comichão” minhas, mas penso que estão a tornar o Dakar numa prova previsível, onde os pilotos não são “largados” à sua sorte de modo a testarem as suas capacidades face às adversidades que encontrarem pelo caminho. Raro é o caso em que pilotos e máquinas pernoitam e descansam em plena Etapa, para retemperar forças para continuarem depois.

Onde é que está o misticismo de que o Dakar é dormir numa tenda, comer enlatados e tomar banho 2 em 2 dias e de balde?

A Organização está a tornar esta prova demasiado polida, demasiado sofisticada, que cada vez mais retira a sua verdadeira essência e espírito do Dakar…

976990_622191734471277_1163689878_o
Foi hoje confirmado pela Câmara Municipal do Porto que o Circuito da Boavista não será realizado em 2015 devido à decisão do Turismo de Portugal, leia-se Governo Português ter cortado os apoios financeiros ao WTCC e Rally de Portugal.

É completamente imbecíl o que estão a fazer e de uma falta de inteligência brutal, cortar os apoios aos dois maiores eventos em solo Nacional após o Euro 2004. Eventos que atraem milhares de espectadores, curiosamente mais estrangeiros do que até Portugueses… Será que não é turismo???

O conhecido canal desportivo Eurosport fez força para que o Circuito da Boavista imperasse no WTCC em Portugal ao invés do Circuito do Estoril ou do Algarve! E porquê? Pela emoção transmitida por um circuito cítadino, e que lhes interessa do ponto de vista dos espectadores e das transmissões televisivas que gerão uma boa quantia nos direitos de transmissão!

Eventos que atraem pessoas de todos os países a deslocar-se ao nosso pelo amor aos desportos motorizados, movimentando a economia Nacional. Mas como já constumo dizer, se fosse para construír mais um Estádio, ou quem sabe comprar mais um Submarino já haveria fundos.

Agora para o que é realmente importante, para os meios de socorro, segurança que são realmente necessários, esses sofrem cortes. Um país de mentecaptos no que toca à promoção do nosso país.

Não estão a saber aproveitar o bom que temos, e muito menos ainda tirar o real proveito do que temos de bom e qualitativamente reconhecido! O que são 2 ou 3 milhões de € para apoio destes 2 eventos?? Quando o retorno obtido é na ordem das dezenas de milhões de €?? Basta analisar os retornos económicos obtidos no Rally de Portugal que foi o evento a gerar mais receitas desde o Euro 2004.

Será que não são motivos suficientes? 100 milhões de € gerados pelo Rally de Portugal e umas largas dezenas geradas pelo WTCC não são importantes?

Somos pequeninos, e caminhamos a passos largos para uma maior pequenez com estas atitudes!

Mas só resta dizer que vivemos num país de Governantes Corruptos e Mentecaptos!!!

82º Edição das 24 Horas de Le Mans

untitled-1-c8ab

Ano após ano tornei estas 24 horas numa espécie de ritual onde tomo especial atenção à transmissão das 24 horas de Le Mans, a competição rainha  do Endurance Automóvel.

Esta edição trás especial orgulho devido à participação do Filipe Albuquerque aos comandos de uma Audi R18 E-tron, assim como de Álvaro Parente aos comandos de um Ferrari F 458 Italia e do Pedro Lamy no Aston Martin V8.

Depois do incrível acidente de Loic Duval ao literalmente desfazer o Audi R18 E-tron, a Audi foi capaz de fazer renascer o carro das cinzas e coloca-lo em competição, algo que pensava eu ser impossível tal foi o estrago.

Tinha muitas esperanças no Filipe Albuqerque, e num bom resultado que se desfez quando num período de chuva em que o Safety-car estava em pista foi literalmente abalroado pelo Ferrari da AF Corse com Sam Bird ao volante.

untitled-1-adaf

Álvaro Parente também não foi feliz, tendo o Ferrari da equipa RAM se debatido com vários problemas mecânicos, assim como Pedro Lamy que liderava a sua categoria até ser obrigado a parar nas Boxes com problemas perdendo várias posições.

Apesar dos azares Nacionais a prova mantém a sua mística e espectaculariade, pelo que o ritual se manterá com uma “directa” a assistir à espectáculo motorizado das 24 Horas de Le Mans.

E que num futuro próximo possa estar de corpo e alma presente no Circuito de La Sarthe.

Ayrton Senna, O Herói e o Mágico das Pistas

Formula One World Championship

Relembro-o desde que me consigo recordar. Ayrton Senna morreu num forte acidente contra um muro de betão no circuito de Imola a 1 de Maio de 1994 enquanto pilotava um Williams Renault de Fórmula 1 a cerca de 300 km/h. Tinha eu apenas 4 anos, mas recordo-me de todo o alvoroço que a morte deste magnífico piloto criou em torno da Fórmula 1 e do desporto motorizado.

Desde a sua morte passaram quase 19 anos, mas caso ainda estivesse entre nós Ayrton Senna faria hoje 53 anos.

Aqui fica este pequeno lembrete sobre o Campeão, o piloto que me faz sonhar desde pequenino.

Ayrton Senna (21/03/1960)

Corridas com o Coração


 

Longe vão os tempos, aqueles mesmo antes de eu nascer em que as corridas eram decididas com o coração, sim por momentos de coragem e emoção por parte dos pilotos que conseguiam proezas que não imaginamos ver replicadas nas corridas de hoje.

Actualmente vemos que as corridas principalmente de Fórmula 1, assim como as restantes modalidades motorizadas de topo se regem por tácticas fortíssimas que impõem determinadas regras e objectivos aos pilotos, aliciando-os a arriscar o estritamente necessário e nunca passar além disso.

Faz falta a irreverência das lutas entre Alain Prost e Ayrton Senna, o louco e espectacular Gilles Villeneuve ou então o louco James Hunt que não dispensava um cigarro, álcool, festas, sexo e mulheres antes das corridas.

Corridas feitas com o coração no acelerador traziam um encanto e emoção fora do normal, forçando limites do que era imaginável. Eram essas emoções que davam cor ao desporto motorizado, e que mostravam a verdadeira face dos pilotos.

Não descuro a evolução tecnológica e táctica que o desporto motorizado sofreu até ao dia de hoje, em que os níveis tecnológicos da engenharia envolvida são enormes e que dão o seu ar de graça, mas os tempos em que não havia ajudas electrónicas, direcção assistida ou telemetria em directo eram muito mais bonitos.

Tempos esses em que os pilotos tinham máquinas muito mais “ásperas”, onde tinham de ser pilotadas com as duas mãos, com o coração e com os “tomates”.