O Eterno “Se…”

1004854_496581593754668_2003073644_n
 

O verão está aí à porta e o Dispositivo de Combate a Incêndios está de novo montado, mas tal como já era de esperar sem grandes alterações no que à segurança pessoal dos elementos integrantes das equipas diz respeito.

Há boa maneira Portuguesa os equipamentos de protecção individual tardam em chegar, assim como tardam em ser desbloqueados os pouco mais de 700 mil euros que Timor-Leste doou no final do verão passado aos Bombeiros Portugueses.

140.949 mil hectares ardidos e acima de tudo 9 mortes sendo 8 delas Bombeiros que integravam o dispositivo de combate a incêndios deveria ser um motivo mais do que suficiente para que tivessem sido tomadas as providencias necessárias durante a época de Inverno.

É muito bonito vir para os meios de comunicação social dizer que irá haver novo equipamento de protecção individual melhor e mais resistente ao calor e às chamas, mas este tarda em chegar! Além de que muitas as associações não tem capacidade financeira para adquirir destes equipamentos para todos os seus Elementos.

O Cirurgião Celso Cruzeiro, coordenador unidade de queimados dos Hospitais da Universidade de Coimbra remata “SE o material, sobretudo os fatos e as botas, fosse adequado, podia ter minimizado a gravidade das lesões”, “Alguns usam equipamento que arde e cola-se à pele. Outros já têm equipamento mais ‘sofisticado’, na medida em que não arde, mas deixa passar calor e provoca queimadura na mesma” realçando que “o equipamento ideal para quem pisa terrenos em chamas é o que não arde nem aquece”.

Tudo isto é muito bonito no papel e nos meios de comunicação social, mas a realidade é praticamente igual à do ano passado, tirando o facto de que cada um dos elementos irá receber um “Manual de Bolso” com informação sobre segurança no combate aos incêndios, que dá sempre jeito para ler nos pequenos intervalos do combate às chamas (cof cof cof)…

O calor chegará assim como os incêndios, o panorama irá repetir-se sem que o Dispositivo de Combate a Incêndios se negue ao desempenho das suas funções, isto porque tal como Steve Jobs dizia “Não me interessa ser o Homem mais rico de cemitério. […] Ir para a cama à noite e sentir que fizemos algo fantástico […] isso é que me importa.”

Ainda a Pensar!

14803_640683512622099_894242166_n

O País está em chamas, o céu coberto de cinza e em vez de ar, respiramos fumo. É este o cenário que o nosso país atravessa sem que se veja um fim à vista para esta calamidade.

Por mim próprio falo. Os noticiários dão conta de inúmeros incêndios florestais de grandes dimensões, e eu estive envolvido num deles (Mondim de Basto) durante mais de 18h consecutivas.

As condições climatéricas, o desordenamento e desleixo no cuidado com a floresta Nacional e a orografia das serras complicam o combate aos incêndios, mas sobretudo começa-se a notar o desgaste do Dispositivo Nacional de Combate aos Incêndios Florestais. GRIF’s, GRUATAS e equipas deslocam-se sucessivamente de incêndio para incêndio não tendo o tempo necessário para o descanso e recobro do esforço exercido.

A orografia das serras são um das maiores barreiras ao combate aos fogos, sucessivos vales encaixados que se tornam demasiado perigosos para o combate directo, e aos que ousam ataca-lo directamente nesses mesmos locais são remetidos para o seu lugar, muitas vezes com mazelas ou ainda pior que isso.

Hoje foi o dia do Funeral do Jovem Bernardo Figueira que faleceu devido aos ferimentos infligidos pelo combate ao fogo. Revejo-me na imagem deste jovem Bombeiro. 23 anos, recém licenciado em Informática e sobretudo um Bombeiro com vontade de ajudar e combater. Pereceu perante uma luta desigual sem que os companheiros o pudessem ajudar. Não obstante as noticias correm depressa demais, desta vez uma jovem Bombeira de 21 anos oriunda do Carregal do Sal que pereceu durante o combate ao Incêndio na Serra do Caramulo, ao passo de 2 Bombeiros gravemente feridos e 3 deles com ferimentos mais ligeiros.

É impensável que em praticamente duas semanas tenham morrido 5 bombeiros e centenas tenham ficado feridos!

“E, se conheço a voluntariedade, a força de vontade e abnegação de todos os jovens que combatem os incêndios, também sei que não devemos contribuir para termos heróis mortos ou feridos por causa de uma certa ingenuidade e vontade aventureira de combater todos os fogos custe o que custar sem necessariamente e obrigatoriamente se avaliar o risco do benefício ou custo em que o custo primeiro é a vida!”

Todos nós que estamos por dentro necessitamos da adrenalina para viver, e nada nos deixa mais realizados que uma missão cumprida com sucesso, mas é inegável estamos a chegar ao limite do que é Humanamente possível.

Dá Que Pensar!!!

DSC_0024

Nas últimas semanas a abertura dos Jornais Televisivos Nacionais começam sempre da mesma forma, o Combate aos Fogos Florestais que ano após ano assombram e queimam o nosso pequeno país.

Como elemento da linha da frente no combate aos Incêndios Florestais custa-me saber que mais um companheiro pereceu na luta contra o gigante vermelho, e ainda mais me custa saber que o nosso esforço nem sempre é reconhecido.

DSC_0039

Tal como escreveu este camarada num post de um blog do tema:

Eu poderia ser engenheiro, pedreiro, motorista, escritor, advogado, ao invés disso escolhi ser bombeiro e ter a minha vida cheia, de choro, sangue, óleo, vidro, fogo, pedidos de socorro e muitas noites mal dormidas, porque a essência de ser bombeiro persegue-me, vem como cinzas de uma residência, chapa retorcida de um carro, olhos suplicantes, choro de dor, até mesmo o rosto de alguém que Deus l……levou consigo!

Quem não olha um bombeiro nos olhos nunca verá essa essência, nem verá onde está escrito que ele deve ser um bombeiro, porque isso, meus amigos, está escrito na sua alma! E só compreende isso quem já sentiu a inexplicável sensação de salvar uma vida, ou quem também é bombeiro!

Não deixes a essência se consumir nas chamas, derramar-se com o sangue, guarda-a no teu coração, só assim cumprirás a tua missão com toda a dignidade.

Não só pela farda, não só pelas crianças que te pedem para ligar a sirene, não só pelas pessoas que te chamam de herói, mas pelo amor que sentes pela tua farda, pelas crianças, pela sirene e principalmente pelo teu próximo.

Um bem haja a todos os colegas Bombeiros de norte a sul.

Escrito por Francisco Vicente dos Bombeiros de Alverca do Ribatejo.

Os números falam por si, até ao momento já foi queimada um área superior à área queimada quer em 2007 ou 2008 em todo o ano, e nós só vamos ainda no final do mês de Agosto, adivinhando-se ainda um difícil mês de Setembro. Número que ainda assusta mais são o número de acidentes com viaturas de combate a incêndios e as 4 mortes de Bombeiros durante o Combate aos Fogos.

DSC_0031

Diariamente lido com o combate aos Fogos Florestais e entendo perfeitamente o que é estar cercado, rodeado por fumo e fogo e não saber o que irá acontecer no próximo segundo, ou se irei conseguir fugir sequer. O risco é implícito e muitos de nós aceitam-no sem olhar para trás.

O Incêndios Florestais não tem dado tréguas e o dispositivo está a chegar ao seu limite físico. Os elementos integrantes do DECIF 2013 estão à várias semanas consecutivas no combate aos mais diversos fogos florestais e isso desgasta, quer fisicamente quer psicologicamente.

Por mim próprio falo que estive envolvido no combate directo a incêndios de grandes proporções continuamente desde Quarta-Feira dia 21 até Segunda-Feira dia 26 e ainda sinto que fui “atropelado por um Camião”.

O cansaço acumula-se e a força psicológica desvanece dando lugar a falhas e descuidos, descuidos esses que não serão tolerados e poderão resultar na morte.

Serei apenas eu o assombrado por todos estes recentes acontecimentos???

Trás-os-Montes em Chamas!!

393127

Depois do anuncio daquele que seria o Verão mais frio dos últimos 200 anos, as temperaturas tem superado os 30ºc e por vezes até os 40ºc um pouco por todo o país. Como não poderia deixar de ser o verão e o calor é sinónimo de incêndios florestais, esse flagelo que ameaça as nossas florestas ano após ano.

Como Bombeiro Voluntário já o senti muitas vezes na pele e este ano por motivos um pouco mais distantes estou um pouco mais afastado do Combate aos Incêndios Florestais, mas sem dúvida sinto a falta do calor, do cheiro a fumo e da cinza, mas sobretudo da adrenalina do combate ao fogo e no final a satisfação de ter salvo um pouco mais de floresta.

 

asd

Desde Ontem (9 de Julho de 2013) que um grande incêndio florestal lavra no distrito de Bragança, mobilizando várias centenas de Homens, mais de uma centena de viaturas e uma dezena de meios aéreos, mas mesmo com toda essa massa combatente o fogo não tem dado tréguas.

Bombeiros de todo o país tem sido mobilizados para render os mais desgastados assim como para ajudar ao combate ao fogo, e eu confesso que também gostaria de estar por lá, de me sentir útil e de encarar de frente com o gigante vermelho, sujo e quente!

 

MNB

A época de ECIN’s 2013 não terá o mesmo brilho para mim, nem o mesmo significado, mas certamente ocorrerão situações que irão marcar, para sempre!