Dá Que Pensar!!!

DSC_0024

Nas últimas semanas a abertura dos Jornais Televisivos Nacionais começam sempre da mesma forma, o Combate aos Fogos Florestais que ano após ano assombram e queimam o nosso pequeno país.

Como elemento da linha da frente no combate aos Incêndios Florestais custa-me saber que mais um companheiro pereceu na luta contra o gigante vermelho, e ainda mais me custa saber que o nosso esforço nem sempre é reconhecido.

DSC_0039

Tal como escreveu este camarada num post de um blog do tema:

Eu poderia ser engenheiro, pedreiro, motorista, escritor, advogado, ao invés disso escolhi ser bombeiro e ter a minha vida cheia, de choro, sangue, óleo, vidro, fogo, pedidos de socorro e muitas noites mal dormidas, porque a essência de ser bombeiro persegue-me, vem como cinzas de uma residência, chapa retorcida de um carro, olhos suplicantes, choro de dor, até mesmo o rosto de alguém que Deus l……levou consigo!

Quem não olha um bombeiro nos olhos nunca verá essa essência, nem verá onde está escrito que ele deve ser um bombeiro, porque isso, meus amigos, está escrito na sua alma! E só compreende isso quem já sentiu a inexplicável sensação de salvar uma vida, ou quem também é bombeiro!

Não deixes a essência se consumir nas chamas, derramar-se com o sangue, guarda-a no teu coração, só assim cumprirás a tua missão com toda a dignidade.

Não só pela farda, não só pelas crianças que te pedem para ligar a sirene, não só pelas pessoas que te chamam de herói, mas pelo amor que sentes pela tua farda, pelas crianças, pela sirene e principalmente pelo teu próximo.

Um bem haja a todos os colegas Bombeiros de norte a sul.

Escrito por Francisco Vicente dos Bombeiros de Alverca do Ribatejo.

Os números falam por si, até ao momento já foi queimada um área superior à área queimada quer em 2007 ou 2008 em todo o ano, e nós só vamos ainda no final do mês de Agosto, adivinhando-se ainda um difícil mês de Setembro. Número que ainda assusta mais são o número de acidentes com viaturas de combate a incêndios e as 4 mortes de Bombeiros durante o Combate aos Fogos.

DSC_0031

Diariamente lido com o combate aos Fogos Florestais e entendo perfeitamente o que é estar cercado, rodeado por fumo e fogo e não saber o que irá acontecer no próximo segundo, ou se irei conseguir fugir sequer. O risco é implícito e muitos de nós aceitam-no sem olhar para trás.

O Incêndios Florestais não tem dado tréguas e o dispositivo está a chegar ao seu limite físico. Os elementos integrantes do DECIF 2013 estão à várias semanas consecutivas no combate aos mais diversos fogos florestais e isso desgasta, quer fisicamente quer psicologicamente.

Por mim próprio falo que estive envolvido no combate directo a incêndios de grandes proporções continuamente desde Quarta-Feira dia 21 até Segunda-Feira dia 26 e ainda sinto que fui “atropelado por um Camião”.

O cansaço acumula-se e a força psicológica desvanece dando lugar a falhas e descuidos, descuidos esses que não serão tolerados e poderão resultar na morte.

Serei apenas eu o assombrado por todos estes recentes acontecimentos???

Partir Antes da Primeira Linha de Àgua!

Ele caminha entre chamas e telhados abatidos
No olhar à esperança de sairmos deste inferno vivos
Na causa daria a sua vida pelo próximo
Soam as sirenes no quartel
Herói anónimo
O único no ultimo piso do edifício
Com uma criança nos braços
Felicidade, sacrifício
Corpo marcado por queimaduras tatuado
Acorda de noite sufocado pelas chamas do passado
Um fardo pesado, um fado embebido em magoa
Muitos partiram antes da primeira linha de água
Quantos voluntários no exercício da função
Ceifados deste mundo pelas chamas da escuridão
Jovens adolescentes bravos combatentes
Saudade e coragem no seio dos seus parentes
Soldado da paz, audaz, anjo na terra parte da cidade em direcção ao pico da serra

“Causa Perdida” – Dealema

Esperava não ter de escrever ou sequer pensar muito nisto, mas mais uma vez aconteceu. Mais colegas de luta perdidos ao serviço da população e da natureza. Muitas vezes criticados pela incompetência, ou pela serenidade das actuações. Mas isso é apenas um flash do que realmente se passa! Quantos é que já passaram noites e dias, suados, sujos, queimados e com cheiro a fumo numa luta desigual? E Quantos o fizeram por Amor à camisola?

Sim é uma resposta que muitos fazem, mas muito poucos são capazes de responder com assertividade. Sim somos voluntários, deveríamos ser Profissionais na acção mas acima de tudo somos o Exército mais barato do mundo e único no mundo inteiro.

A morte de uma pessoa é difícil de lidar e ainda mais de imaginar, mas quando vemos a notícia de que mais um companheiro morreu no combate aos fogos, queimados, consumidos pelo “Inferno” na terra é duro, saber que poderemos ser a próxima vítima e que poderemos não ter forças para o contrariar. Custa ainda mais olhar para as estatísticas e saber que nos últimos 33 anos morreram 207 Bombeiros em serviço.

“O trabalho dos bombeiros é uma guerra sem quartel. Morre-se e continua-se a lutar dia após dia, porque os bombeiros renascem das suas próprias cinzas”, acredita o presidente da Liga. “Os bombeiros não são melhores nem piores do que os outros homens e mulheres, mas têm um sentido de abnegação diferente, um sentimento de serviço e entrega a uma causa de uma dimensão sem dimensão.” – Jaime Marta Soares (Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses)

O nosso trabalho rege-se pelo “Podemos Não Voltar, mas Vamos” sim apesar das normas de segurança indicarem que “Primeiro Nós, Depois Nós e ainda Depois Nós” isso nunca acontece na prática porque o espírito e a adrenalina não o permitem. Salvar ou combater é a palavra de ordem e isso torna-nos em máquinas. Máquinas essas que por vezes falham.

Ainda ontem a notícia de que 4 viaturas de combate a incêndios dos bombeiros foram consumidas pelas chamas enquanto estes conseguiram escapara assombram-me! Sou jovem, cheiro de vontade e espírito e sobretudo um inexperiente motorista de Pesados, e saber que por vezes tudo se vira contra nós, mesmo as máquinas que não deveriam falhar deixam-me a pensar. Nada é fácil e tudo tem os seus riscos, e eu assumo os meus sem olhar para trás.

Não é um serviço que se tome de ânimo leve, é sujo, desconfortável e acima de tudo duro e conflituoso, mas depois de começar é impossível sair! Fica no Sangue!

Um Fim de Semana Duro de Roer!

O fim-de-semana passado foi duro de roer… Entrei de serviço ao combate a incêndios florestais as 20h de Sexta-Feira, seguiu-se uma noite inteira de trabalho e já era manhã quando foi possível descansar um pouco. A tarde de Sábado foi também pautada por diversos incêndios florestais que prolongaram o trabalho até bem perto das 00:00h, hora a que tive o prazer de poder jantar.

Domingo bem cedo foi altura de trabalhar novamente até as 20h, hora a que fui substituído. Cansado mas feliz por ter sido útil à população e à floresta….

 

Parte o Coração e dá um grande Nó na garganta saber que mais um de nós pereceu às mãos do enorme gigante vermelho, o fogo apanhou-a e não lhe deu hipótese de fuga. Dar tudo a tentar combater o fogo e ele sem dó nem piedade ceifa mais uma vida.

É triste ver um de nós partir em missão, mas só nos dá ainda mais força de voltar e lutar….

Podemos não Voltar mas Vamos…

Diário de ECIN 2012 – 28/06/201

Hoje tive o meu primeiro “incêndio” da época de ECIN 2012. O alerta de incêndio florestal foi dado pouco antes das 17:30 horas ao qual acorremos de imediato. Na chegada ao local já o helicóptero se encontrava em acção debelando rapidamente o pequeno incêndio, no qual terminamos com rescaldo em redor da área queimada.

Foi apenas uma pequena amostra do que nos espera durante a restante época de ECIN, época essa que se adivinha quente e difícil.