Tantas Coisas Poderiam Ter Sido Evitadas em 2013…

1543_652574658099651_1106726547_n

O ano 2013 poderia ser considerado de antemão um ano de azar, segundo a superstição do número 13.

Avaliando agora tudo o que se passou não foi realmente um grande ano. Muitas dúvidas, muito desleixo, muitos projectos e ideias guardadas na gaveta e muito pouca vontade de as concretizar.

Alguns dos objectivos pessoais propostos foram cumpridos, e uns tantos outros nem por isso.

Opções certas e erradas ditaram o caminho percorrido.

O verão previa-se o mais fresco dos últimos 40 anos, mas não foi exactamente o que aconteceu. O flagelo dos incêndios florestais voltou em força, queimando tudo e todos os que se opunham. 8 companheiros na batalha pela paz foram consumidos e isso dá que pensar.

Relatórios indicam falhas nas chefias, ignorância e falta de experiência dos elementos no terreno, material de protecção individual e viaturas desajustadas. Tudo isso tem alguma verdade, eu concordo que sim, mas é sempre mais fácil culpar quem algo tenta fazer, mesmo quando as coisas não correm bem.

Experiências adquiridas quer para o bem, quer para o mal moldam a nossa personalidade. Podemos fazer retrospectivas do passado, mas este só será realmente útil se formos capazes de aprender com os erros, tornando-nos mais fortes.

O medo envolve-nos mas deixa-nos alerta, e maior é a virtude de conseguir controlar o medo e jogar com ele a nosso favor… Confiança é necessária. mas em demasia leva-nos ao fundo, e eu aprendi bem a lição.

É difícil parar e pensar que não cumprimos tudo aquilo a que nos propusemos, mas sem objectivos não somos nada nem ninguém.

O que tiver de ser, será. Nós decidiremos…

Leave a Reply